Lugar Secreto

Retalhos de Silêncio

Textos

ZERANDO…
Houve um tempo, no qual, em mim, habitava uma criança arredia… sofrida, abandonada, frágil e indefesa.
Hoje, ela ainda mora em mim, ainda é arredia, mas deixou de se sentir sofrida, abandonada e indefesa, porquanto construiu ao seu redor uma carapaça jurássica.
Ela, a criança, finalmente entendeu que ela sempre esteve/está só, igual a todos os habitantes desse Cosmo Imenso e sem Lei Aparente.
Sua incompetência em fazer Amigos; seu doentio sentimento de abandono e fragilidade são só seus e de mais ninguém.
Ficar em silêncio sepulcral, as vezes lhe parece o mais correto… entretanto, falar, mesmo que seja “com seus botões”, lhe causa um tremendo bem estar, apenas pode lhe causar o transtorno de voltar a ser internada, dessa feita, por loucura, idiotia, senilidade.
Falando ou calada ela, a criança está consciente de estar sempre sozinha.
Que seja.
Quem não tem nada bom para dizer, cuja opinião solicitada se refere apenas ao Sim ou Não, o melhor é adotar o silêncio como confidente.
E está de bom tamanho.
É como diziam Minhas Antigas: “___Em boca fechada não entra mosca!”, ou como disse um grande sábio, há 2.021 anos, segundo quem escreveu e quem traduziu: “___O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem.” (Mt 15:11) ou ainda como diz alguém muito próxima a mim: “____Boca foi feita para encher de comida e não para falar!”
E, depois de muitos testes, a menina resolveu... https://www.youtube.com/watch?v=JJKcl2-XD4Y
Adda nari Sussuarana
Enviado por Adda nari Sussuarana em 11/10/2021
Alterado em 11/10/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras