Lugar Secreto

Retalhos de Silêncio

Textos

HISTÓRIAS DA VÓ SINHÁ (Pastoril)
PERSONAGENS:

VOVÓ SINHÁ
LETÍCIA (NETA)
LETÍCIA (BORBOLETA)
AÇUCENA (CONTRAMESTRA)
ROSA (MESTRA)
SERENA (DIANA)
MADALENA (PASTORA 1 – COMPANHEIRA DE AÇUCENA)
ROSANA (PASTORA2 – EMPREGADA DE ROSA)
YANCA (CIGANA)
ESTELA (ESTRELA)
BENJAMIM (PASTORZINHO/CAATINGUEIRO)
SIMÃO (PASTOR VELHO/SEM TETO)
GABRIEL (POLICIAL
LUZBEL (TRAFICANTE)
MARIA A MÃE DE JESUS.

PRÓLOGO

SINHÁ ______________ Letícia, quero lhe ver dançando no Pastoril!

LETÍCIA ____________ Vovó, não estou no pastoril. Hoje farei uma homenagem ao Boi de Carnaval. Acordei meio agitada, estou tentando me acalmar! Tive um sonho muito estranho, mas esqueci de anotar logo assim que acordei. Resolvi tomar um banho e o sonho se apagou, esqueci completamente. Por favor, conte uma história que fale sobre o Natal, talvez quem sabe me ajude, o meu sonho relembrar. Só lembro que vi dois Anjos cobertos de esplendor, um parecia a alvorada, o outro a Papa-ceia. Lutavam por uma alma, disfarçada de borboleta com asas cor do arco-íris, mas, por mais que me dedique, não consigo me lembrar...

SINHÁ ______________ Está bem minha querida, acho que não lhe contei a história da batalha entre dois Anjos de Deus – Gabriel e Luzbel, ambos lindos como o amanhecer e a estrela D’Alva, mas ambos tão diferentes como a água e o azeite. Foi há muito, muito tempo. Dizem que era uma vez um continente gigante, conhecido por Brasil que foi invadido, saqueado, dividido por um povo estrangeiro. Povo um tanto e quanto estranho que não sabia dar valor aos tesouros que encontrava. Maltratava as pessoas, judiava dos animais, derrubava e queimava as florestas tropicais que existiam ali. Saia destruindo tudo nos lugares onde passava. Mas uma coisa boa eles fizeram: trouxeram em sua bagagem um folguedo interessante que chamavam Pastoril.  E um dia, um padre inventou de ensaiar esse tal de Pastoril com o povo de um vilarejo, foi um furdunço daqueles...

LETÍCIA ____________ Ochente vovó, mas por quê?

SINHÁ ______________ É que um espírito ruim tratou de se infiltrar entre aqueles brincadores e praticou tais horrores que me arrepio em falar.

LETÍCIA ____________ Ave Maria, Cruz Credo, já naquele tempo era assim? Ninguém podia brincar que vinha logo alguém a vida alheia atazanar? Mas, o padre o que fez?

SINHÁ ______________ Rezou, fez sinal da cruz e nada do fute ir embora, ficava fazendo hora, bulindo com as pessoas. Então o padre chamou o Arcanjo Gabriel pra prender o elemento e deixar o pessoal seu folguedo apresentar para o deleite do povo.

LETÍCIA ____________ Ah vó Sinhá isso parece ser muito interessante, espere só um instante, vou sentar aqui pertinho, para melhor lhe escutar.

SINHÁ ______________ Bom, tudo começou assim...

CENA I

ROSA ______________ Meninas, olhem que campina bela à nossa frente se estende! Umbuzeiros, cajueiros, mangueiras de verdes folhas, reluzentes! Todos carregadinhos de frutos! Com a fome que estou parece até que é miragem.

AÇUCENA ___________ Rosa, já vi que o sol lhe apagou o juízo. Ali são pessoas que vieram acompanhar nossa jornada à Belém. São os Anjos do Senhor, disfarçados como podem: homens, mulheres, jovens, crianças e anciões, que estão a nos acompanhar!

ROSA ______________ E é? Então vamos dar-lhes nosso...

TODAS _____________ ”Boa noite meus senhores todos
E boa noite senhoras também,
Somos nós as pastorinhas belas
Que alegremente vamos a Belém!”

ROSA ______________ “Somos do encarnado
Cor dos nossos corações
Nossos partidários
Quando entramos em cena
Vibram todos de emoção”.

AÇUCENA ___________ “Somos do azul
Cor do nosso céu de anil

Nossos partidários
Quando entramos em cena
A todos sorrisos mil”.

SERENA ____________ “Eu sou a Diana
E dos dois partidos sou
Aos meus partidários
Quando entro em uma cena
A todos sorrisos dou!”

ROSA ______________ É, um sorriso até que eu dou, mas estou morta de sede e de fome. Que estrada mais comprida, quanto mais a gente anda, dá impressão que ela aumenta!

AÇUCENA ___________ É o calor Rosa, e o cansaço também. Ainda bem que a Estrela sempre nos mostra o caminho, se não fosse sua ajuda teríamos perdido o rumo. Olha o brilho que nos dá, parece um milagre do céu.

ROSA ______________ Milagre do céu é comida, brilho de estrela não enche barriga, enche os olhos de ilusão, mas matar fome não mata. Minha mãe diz que essa aí é a famosa “papa-ceia” que surge sempre quando anoitece, mas que apesar do nome, comida que é bom não traz!

ROSANA _____________ Rosa, como você resmunga, esse seu queixo não dói?

SERENA ____________  Psiu...

ESTELA ____________ ” Boa noite a todos
Da minha chegada
Sou a linda Estrela
Bravos à entrada
Sou a linda Estrela
Lá do Oriente
Estrela do Norte,
sou Onipotente!”

SERENA_____________ Estrela Divina, de graças cheia, cadê nossa ceia? Além de cansadas estamos famintas e nem água temos para beber. Se ao menos pudéssemos dormir! No sonho que tivemos, vimos uma cigana que nos acompanharia até Belém, mas ela não chegou ainda, poderíamos...

ROSANA _____________ Engano seu, veja...

TODAS _____________ “Toda cigana é ladina...

YANCA _____________ “Oh meu rico, dá-me um vintém
Para dar ao Deus menino
Que nasceu lá em Belém
Sou cigana
Por noite e por dia
De Belém, o caminho procuro
Quero ver se ao pequeno Messias
É propício ou é mau meu futuro!”

AÇUCENA ___________ “Oh cigana vem ler minha mão
Vem, me fala, o que sorte me diz?”

YANCA ____________ “Não te afastes pastora da trilha
Que serás muito feliz.”

ROSA ____________ “Oh cigana vem ler minha mão
Descobrir minha emoção...”

YANCA ____________ “Não precisa, já vejo em teus olhos
Tens segredos no teu coração...”

ESTELA ____________ Vamos pastorinhas belas, essa é uma noite feliz. Jesus nasceu em Belém, a Virgem Mãe nos espera pra cuidar do Sumo Bem. Andem, esqueçam a fome, esqueçam todo cansaço, Jesus é fonte perene, de tudo há em seus  braços: Amor, paz, desembaraço... ah, com ele, tudo está bem!

ROSA ______________ Sinto muito, mas daqui eu não arredo o pé. Precisamos dormir um pouco ou ninguém chegará vivo em Belém.

ESTELA ____________ Está bem Rosa, podem dormir. Ficarei acordada e velarei o sono de vocês.

GABRIEL ___________ “Despertai humanidade
Deste letargo profundo
Nova fase vem abrir-se
Vem surgir um novo mundo.”

LUZBEL ____________ “Não penses que estas correntes
Vivam sempre a me prender
Ah! Ah! Ah! Ah! Ah
Guerra ao filho de Maria
Guerra sempre até vencer!”
Uma dessas pastorinhas irei ganhar para mim...
Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!
O infante que é Deus terá um amargo fim.
A guerra que vou trava, semeando a inveja,
o orgulho e o preconceito,
a ganância e o desamor ...
Nunca, nunca acabará.
Não há deus que subsista.
Seu trono ? EU vou tomar! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!

GABRIEL ___________ Anda rebelde sem causa, se ao menos seu projeto quisesse ao homem ajudar... Mas eis que seu egoísmo lhe torna pior que fera, só pensa em prejudicar... anda, de mim não vai escapar! Nas profundezas do inferno, vou lhe amarrar com firmeza, e daquela fortaleza você jamais fugirá!

LUZBEL ____________ Quer apostar suas asas? O inferno é minha casa e a terra sua prisão! Como sou conquistador, nada nela me assusta. Se quer enfrentar a luta, vencer e me derrotar, experimente me soltar, pelo menos uma mão. Vamos Gabriel, então, vai, ou não vai me encarar?

GABRIEL ___________ LUZBEL, não adianta você querer me provocar. Eu sou a FORÇA DE DEUS que a terra vem salvar. E nesta noite de luz nasceu, se chama JESUS, lá em Belém de Judá! Pra quê lutar com você que já é um derrotado, e vive trancafiado nas profundezas do inferno? Ora, vamos, a caminho, ande, cumpra seu destino e pare de resmungar!

SIMÃO _____________“Eu me chamo Simãozinho
Pastor em Jerusalém,
Moços, velhos e meninos,
Todo  mundo me quer bem!”

BENJAMIM___________”Se acaso perguntarem
Se sou algum galopim
Dizei que o sou o esperto
Pastorzinho Benjamim!”

SIMÃO _____________ Benjamim, estou cansado, mas não quero adormecer,  quero chegar em Belém , para ver o Deus Menino que nasceu pro nosso bem!

BENJAMIM___________ Também não quero dormir, mas algo quero fazer: Apanharei belas flores, para um ramalhete tecer e oferecer à Senhora, para lhe agradecer por trazer a salvação ao mundo que está perdido, nos dando seu filho querido cheio de amor e perdão.

BENJAMIM___________ “Olhem que campina alegre” , toda coberta de flores de cores tão variadas e diferentes odores.

ROSA ______________ Eita puxavante do cão!!! Você está cego, infeliz?

BENJAMIM___________ “Que susto, que susto
Que belas pastoras
Sentadas na relva
Entre belas flores.”

ROSA ______________ Não venha com munganga pra meu lado não, lhe parto o focinho em dois.  Onde foi que já se viu confundir flor com cabelo?!

MADALENA ___________ Calma Rosa, está assustando o menino!

ROSA _______________ Que menino o quê? Ele é um disfarçado, se fazendo de bonzinho pra ganhar a Senhora no bico! Cuidado comigo que lhe furo os dois olhos e ai você enxerga direitinho! Nunca mais se atrapalha com o que vê. E já que perdi o sono, vamos embora assim mesmo, de noite... aliás, o dia já está amanhecendo!

BENJAMIM____________ Que violência meu Deus! Olhe Rosa, desconfio que você está doente. Cuidado, em seu estado é perigoso andar muito! O sol está quente, por demais, e quem sabe foi capaz de derreter seu juízo! Mas, me diga uma coisa...

ROSA _______________ Vou lhe partir o focinho...

MADALENA ___________ Rosa, calma, ele está brincando!

BENJAMIM ___________ É isso mesmo. Queria apenas perguntar:
“Pra onde vão belas pastoras
Tão cedo ao nascer do dia (Bis)”

TODAS ______________ “A lapinha de Belém
Ver Jesus, filho de Maria (Bis)”

BENJAMIM ___________ “Convosco eu irei também
Ao Deus menino adorar
Eu quero a Jesus Cristo
Meu coração ofertar! (Bis)”

ROSA _______________ Ah ah ah ah, era só o que faltava, um boboca igual a você, vir conosco a Belém, pra cuidar do Sumo Bem, de Jesus o Redentor?!

YANCA ____________ Ele vem sim, sim senhora. Benjamim é bom menino, e um bom pastor também, conhece como ninguém, de Belém, todo o caminho.

BENJAMIM ___________ Obrigado ciganinha. Vou correndo convidar o meu grande amigo Simão, para nos acompanhar.

ROSA _______________ Virou pagode, já vi: um menino e um velhote, uma mala e um malote para a gente carregar. Tenham santa paciência, isso é demais para mim!

AÇUCENA ____________ Rosa, não fique zangada. Quanto mais gente melhor, dá impressão que a estrada se torna um pouco menor! Ouçam, tive um lindo sonho, se sentem que vou lhes contar...

ROSA _______________ Eu também sonhei meninas e o meu sonho foi assim:
Sonhei que um querubim,
nos braços “me arrebatava
Pelos espaços me transportava
Tão belos cantos então se ouviam
Que sons celestes me pareciam...”

BENJAMIM ___________ Que criatura apressada, nem deixa a outra falar, já sai contando o seu sonho, sem ao menos se importar de dizer um, com licença, antes do verbo soltar?! Educação mandou lembrança!

SIMÃO ______________ Cala a boca Benjamim que Rosa cumpre a promessa de quebrar o teu focinho. Açucena nem ligou. Fica quietinho aí, calado, vamos ouvir os sonhos que vão contar. Psiu.

AÇUCENA ____________ Sonhei que havia chegado a Belém
“E em uma gruta, simples e modesta
Eu de repente me achei em festa
Vi um menino, de luz cercado,
Num presépio todo enfaixado.”

YANCA ___________ Você viu Jesus Menino Açucena, o seu destino é radiante, luminoso. Esse menino formoso é o salvador do mundo! Não é Rosa?

ROSA _______________ Como é que eu vou saber? A cigana aqui é você, adivinhe se puder! E quer saber do que mais? Procurar o que comer é o que devemos fazer. Vamos, Estou morrendo de fome.

BENJAMIM ___________ Eu não disse? Esse ataque tem um nome e garanto que não é fome: É inveja pura. Meu Deus que criatura infeliz!

MADALENA ___________ Por que não ouve Simão e cala logo essa boca? Olhe,
se Rosa lhe agarra, torra sua cara na banha, faz de você tira gosto!

AÇUCENA ____________ Jesus Menino lhe peço, traga paz ao universo, acabe a fome do mundo: de comida e de justiça. Destrua toda cobiça, esse sentimento imundo que torna o homem capaz de trucidar seus iguais com um sorriso no rosto, causando enorme desgosto ao coração de Deus /Pai! Receba a minha prece, singela como uma flor. Jesus és o Salvador, podes redimir o mundo!

LUZBEL ___________ “Tu és pastora, a mais formosa
Que nestes campos já vi
Parece bem galante flor
Das que ama o colibri
Dar-te-ei um trono de gala
E riqueza sem igual
Beleza e sons de opala
Palácios, coroa e val...”

AÇUCENA ____________ “Não quero tuas belezas
Nem teu trono festival
Rejeito tuas riquezas
Oh mensageiro do mal.”

GABRIEL  ___________ “O falso poder que tens
Eu calco sob os meus pés
O teu reino miserável
Será em breve aniquilado
Pelo Messias que ao mundo
Vem libertar do pecado.”

LUZBEL _____________ “Um infante humanizado
Roubar de um anjo o poder?
Ah ah ah ah, guerra a tudo que o defende!
Guerra sempre, até vencer!”

AÇUCENA ____________ “Anjo divino, anjo do céu
Que vem guiando ao passos meus
Peço que leves minha oferenda
De graças ao altar de Deus!”

LUZBEL _____________“Tremei, tremei Gabriel, tremei
Que no inferno eu sou rei!
Ah! meu senhor, no inferno tenho
Prazeres e mando ferrenho,
Não me amedronta o teu nome
Nem tua glória me consome.”

GABRIEL  ___________ Açucena pode ir, esta criatura aqui mal algum lhe causará. Siga seu caminho em paz, prometo que em seus passos jamais irá tropeçar.

GABRIEL  ___________ Ande Luzbel, pare de querer fugir. O caminho é por ali, não tente me tapear!

CENA II

MARIA ______________ Minhas belas pastorinhas, levai meu filho sagrado e escondei-o no Egito, bem longe do rei malvado. Cuidai do Santo Messias: Grande Rei do Puro Amor, ele é Deus humanizado, que apaga todo pecado. Ele é o Redentor!

AÇUCENA ____________ Senhora, juro pela minha vida: Jesus chegará a salvo ao seu destino sem arranhão, sem ferida. Por ele luto e venço todo e qualquer inimigo!

ROSA _______________ Menos Açucena, menos... bem, enquanto conversam vou descansar um pouco, minhas pernas estão um trapo...

LUZBEL _____________ “Vinde pastora, quero falar-te
Para o inferno quero guiar-te
Dou-te o meu tesouro
Levanto montanhas de ouro
Dou-te a minha riqueza
Que no inferno EU SOU REI!”
Deixa que o rei Herodes tome conta do menino.
Pra que cortar seu destino? Ele veio pra morrer...
Ninguém detém o poder de mudar a sua sina.
Me ouve Rosa-Menina: toma ele e dá pro rei... vai!

ROSA _______________ Eu tenho mais ovelhas que você, sou rica, posso cuidar do menino muito melhor. Me dá ele!

AÇUCENA ____________ A Virgem Maria pediu para levá-lo ao Egito, a terra do Faraó. Garanto que lá, Herodes, o sanguinário, nunca o encontrará!

ROSA _______________ O Egito é muito longe, os caminhos perigosos... é melhor ficar aqui. Me dá o menino!

SERENA _____________ Alto lá Rosa, Açucena está certa. A Virgem Maria nos pediu para esconder Jesus por que sabe que pode confiar em nós.

ROSA _______________ Cale essa boca. Você nem sabe qual é o seu partido, não sabe se chove ou faz sol... e ainda quer dar palpite...

SERENA _____________ Meu coração é espaçoso, grande o suficiente para amar a diferença entre as pessoas e as cores. Você está querendo humilhar, a nós, suas companheiras de jornada dizendo que o seu rebanho tem tantas e tantas ovelhas? Rosa, nós somos gente!

ROSA _______________ Ah, vai querer me confundir?

YANCA ______________ Você é quem está fazendo uma grande confusão. Acho que o príncipe do inferno mordeu o seu coração. Ser rico, minha cara Rosa, não quer dizer poderoso, esse menino formoso veio trazer a união.

ROSA _______________ E daí? E você Rosana, não fala nada? Nem tenta me defender? Está despedida, não trabalha mais pra mim...

ROSANA _____________ Acho que é melhor assim. Você agora é só espinho... durante todo o caminho não parou de resmungar. Se Açucena me aceitar, cuidarei do seu rebanho, enquanto ela viaja a serviço de Maria e rezarei noite e dia pela sua segurança!

MADALENA ___________ Isso mesmo, fique conosco, precisamos de você. Rosa está fora de si, é duro reconhecer, mas ela está em perigo, escutou o inimigo, deu ouvidos aos seus conselhos. Apagou a luz do espelho, não ouve mais a verdade. Veja, a maldade tomou conta dos seus olhos!

ROSA _______________ Cale a boca matusquela, sua arara tagarela, lhe entupo a boca de estrume. Está roxa de ciúme por que o príncipe não lhe quis!

MADALENA ___________ Príncipe, aquele infeliz? Só mesmo uma doente,  crê que aquele insolente vale um tostão furado!

BENJAMIM ___________ Ele é um grande safado que merece uma sova, pra ficar todo moído e parar de perturbar.

ROSA _______________ É um príncipe sim senhor! O safado aqui é você, e um burro que nem saber distinguir o que é cabelo ou flor. Ora me faça o favor dessa cancela fechar...

BENJAMIM ___________ Me solta sua maluca...

SIMÃO _______________ Ih Rosa enlouqueceu, começou a variar!

ESTELA _____________ Parem já com essa briga e tratem de caminhar, para atender a Maria. Eu sou a Estrela Guia devem me acompanhar.

ROSA _______________ Isso é que não. Açucena, me dá esse menino.

AÇUCENA ____________ Não. Temos que ir para o Egito, prometemos a Maria.

ROSA _______________ Não prometi nada a ninguém. Quero o menino que é Deus,  inteirinho só pra mim. Vou tomá-lo de você e expulsá-la desses campos. Saiam já de minha frente.

BENJAMIM ___________ Cuidado Açucena, ela está possessa, está com o diabo no coro!

ROSANA _____________ Valei-nos Virgem Maria, livrai-nos da tirania desse espírito imundo!

LUZBEL ___________ Eu sou o rei desse mundo, querendo vocês ou não!

ROSA _______________ “Por estes campos, por estes campos
Por estes campos havemos de brigar...”

AÇUCENA ____________ “Mas o menino, mas o menino
Mas o menino não vou lhe entregar!”

ROSA _______________ Me dá o menino!

AÇUCENA ____________ “O menino eu não lhe dou
Pois ele está em meu poder
Só depois da minha morte
Tu poderás, tu poderás
Então vencer!”

ROSA _______________
“Açucena olhas que morres
Olhas que perdes a vida...”

AÇUCENA ____________ “A vida por Deus é dada
E só por ele é retirada...”

ROSA _______________ “Pois eu tiro-te a vida, tiro-te a vida
Na ponta de minha espada!”

SERENA _____________  “Companheiras botem luto
Que a Contra-Mestra morreu...
Enquanto ela foi viva
A professora, a professora não venceu...”

BENJAMIM ___________ Santo Anjo do Senhor, seja nosso protetor contra as manhas de Luzbel. Ele induziu a pobre Rosa a destruir outra flor – Açucena tão fiel, a Maria, mãe de Deus. Ela morreu mas não traiu aquilo que prometeu!

LUZBEL _____________ Estás presa linda Rosa, por trair o Redentor, aquele cujo amor não há igual neste mundo. Escutaste-me, sou o imundo Rei da terra infernal. Ah, tiraste uma vida em flor, causando imensa dor ao Cordeiro divinal!

ROSA _______________ “Estou presa, estou presa
Tirai-me desta prisão
Soltai-me, soltai-me,
Soltai-me o laço da mão!”

SIMÃO _______________ Rosa essas suas mãos de sangue estão manchadas, você com sua ambição matou nossa bem amada Açucena, ela não quis ser infiel à Senhora Imaculada, que lhe entregou seu tesouro: Deus em forma de menino.

BENJAMIM ___________ E lhe deu uma ordem assim: Siga sempre o caminho rumo ao Egito, além, para longe de Belém e do cruel carniceiro – Herodes, vil, traiçoeiro, matador de inocentes, destruidor de esperança e que o anjo da bonança seja o seu protetor. Mas você não deu ouvidos...

SIMÃO ______________ Chame ele linda Rosa, chame pelo salvador. Ele é um Deus de Amor e vai, sim, lhe perdoar!

ROSA ______________ “Se Jesus soubesse
Que eu estava na prisão
Mandava seu anjo
Soltar as minhas mãos (BIS )”

GABRIEL ____________  “Estás solta, estás solta,
Estás solta Mestra inocente
Não podes ser presa
Nesta dura corrente.”
“Levanta-te Açucena,
Para ver a luz do dia
Quem morre por Jesus
Ressuscita, ressuscita por Maria! (BIS)”

CENA III

YANCA ______________ Meu Deus se eu não encontrar água, de sede, os dois morreremos. Esse deserto é tirano e parece não ter fim... (Ouve uma melodia e voltasse para olhar. Percebe um pequeno casulo que parece dançar ao som da melodia. Alegra-se, se há borboletas por ali, é sinal que há água também. Começa a cantar)
“Borboleta pequenina
Saia fora” venha cá,
esse é Jesus Menino
quero lhe apresentar.

LETÍCIA ____________ “Eu sou uma borboleta
Pequenina, sou faceira
Ando no meio das flores
Procurando quem me queira.”

YANCA ______________ Borboleta pequenina, estamos com muita sede, precisamos urgentemente beber um pouco de água, sabe onde posso encontrar?

LETÍCIA ____________ Claro. Aqui onde estou é uma fonte cristalina, pode matar sua sede, e a do menino também! Ele é tão bonitinho, creio que gostou de mim, olha só como ele ri!

YANCA ______________ Ele agora está bem. Vou retornar a Belém e entregá-lo a Maria. Venha comigo pequenina, vou lhe apresentar a ela. A Virgem é pura alegria, pois é a mãe de Jesus.

CENA IV

YANCA ______________ Vejam o que encontrei, era uma pequena lagarta que estava a dormir. Transformou-se em borboleta, bela, faceira a luzir suas asas tão perfeitas fazendo Jesus sorrir!

MADALENA ___________ Mas é mesmo uma lindeza a pequena criatura! Só mesmo Deus pra criar delicada formosura e com toda singeleza presentear esse mundo! Qual o seu nome criança?

LETÍCIA ____________ O meu nome é Alegria, mas pode me chamar Letícia, foi minha vovó Sinhá quem escolheu.

TODAS ______________ “Oh minha linda borboleta
Venha para o meu jardim
Responde, linda borboleta
Diga o que acha de mim?”

LETÍCIA ____________ Rosa “sua cor é a do manto de Jesus”
Açucena “sua cor é a do manto de Maria,”
Serena “minha linda” Serena
“Suas cores representam
O amor e a harmonia!”

ROSA ____________ O cordeiro apareceu e ninguém mais do que eu está feliz neste dia. Viva o filho de Maria, o meu salvador fiel, libertou-me de Luzbel, dos seus grilhões de agonia!

LETICIA ____________ Viva Jesus Redentor, Rei e Senhor da Alegria!

TODAS ______________ “Belo cordeirinho, meu apareceu (BIS)
Foi noite de festa que ele nasceu (BIS)”
Estela “é a estrela que nos guia
Jesus Cristo é filho de Maria”
Estela “é a estrela que nos guia
Jesus Cristo é filho de Maria.
Belo cordeirinho, meu menino é lindo (BIS)
Ele está na lapa no berço dormindo (BIS)”
Estela “é a estrela que nos guia
Jesus Cristo é filho de Maria”
Estela “é a estrela que nos guia
Jesus Cristo é filho de Maria.”

LUZBEL _____________  “No inferno, no inferno
meus senhores, tem prazeres
Tem prazeres de encantar
Quem” é sócio de “Plutão
Sabe rir, brincar, folgar...”
mas eu tenho um probleminha:
esse menino que é Deus,
veio abalar meu império!
Agora vou falar sério,
pago seu peso em ouro,
quem deseja me ajudar?

SIMÃO ______________ Chispa daqui seu galhudo, com esse casco fendido. Seu perfume está vencido, seu bafo é de chiqueiro. Saia correndo, e bem ligeiro, antes que eu me aborreça e lhe rache a cabeça com esse bastão aqui. Vá saindo por ali. Ande, já está na hora, a aurora vem raiando, Jesus precisa dormir.

LUZBEL _____________  Pois sim, pensem que vou desistir! O coração dos humanos continuo a desunir: viro o pai contra o filho, o irmão contra o irmão, nação destruirá nação, tudo a meu mando e querer. Se Jesus tem um poder capaz de me derrotar... se não tem, será seu fim. O mundo vou detonar!

BENJAMIM ___________ Detona não salafrário. Ele irá para o calvário, morrerá crucificado para redimir o mundo. Começará seu reinado suspenso em uma cruz, conquistando dessa forma o coração das pessoas, ou não se chama Jesus.

SIMÃO ______________ Já tu, sujeitinho atôa, vais pro quinto do inferno, mergulhar no fogo eterno, pelos séculos sem fim, Deus mandou seus querubins cuidarem da tua prisão. Vai-te maldito ladrão, conosco não terás vez.
BENJAMIM ___________ Mas nem de jeito nenhum. Se tentar leva uma surra de bastão e de cajado, vai ficar todo quebrado feito trigo de terceira pra não fazer mais besteira e não causar mal algum àqueles a quem Deus salvou. Vai-te embora traidor...

SIMÃO ______________ Chispa daqui vagabundo. Procura um lugar no mundo pra sossegar o teu facho, apesar de que eu acho, nunca irás encontrar.

LUZBEL _____________  Simão, um dia você me paga. Tomarei o seu bastão e o farei em pedaços.

PASTORAS _______ “Adeus meus senhores
Queiram desculpar
Que a nossa jornada
Já vai terminar.
Adeus meus senhores
E minhas senhoras
Até para o ano
Se chegar a hora!”



ESTELA _________ “Adeus que é tarde
Nós vamos partir
O dia amanhece”
Jesus quer dormir!

CENA V

LUZBEL _____________ Esse é o país conhecido por Terra da Santa Cruz?  (aparece)É, ali está Jesus, de braços abertos... vou observar de perto! Mas menino, veja só: a mãe é bem escurinha, ele é louro de olho azul. E já pode? Oh cara, como é que você deixa nesse país tão gigante, cortando do norte ao sul excluírem os seus irmãos, só por que eles tem a cor escura de sua mãe? Porém, eu entendo... essas coisas acontecem, não é mesmo? Acho que vou me dar bem nessa terra de abandono, onde a lei não tem dono, e ganha o mais esperto. Ele de braços abertos, até parece dizer: _____ Mas, o que posso fazer? Só vim pra morrer na cruz! É Jesus, deixe comigo, tomo conta do lugar. Aqui, em fevereiro, tem carnaval, futebol o tempo todo. Ninguém precisa de escola, instruídos, os escravos, querem mandar nos senhores. Nada de abrir cancelas e libertar nosso gado. Perder massa de manobra? Para que “besta” letrado, se basta melar o dedo para votar e dar poder a quem nasceu pra mandar, ouvir e não entender nossa falação vazia? Emprego? Nem ver, restaura a dignidade, daí a nossa “bondade” como fica nessa história? Deixem que sintam muita fome, então daremos esmolas e eles ficam agradecidos pelos séculos AMÉM! E saúde para quê? Todo mundo vai morrer, cedo ou tarde, não escapa. Ah e DEUS ama demais aos pobres, aos sofredores. Se alguém discorda e grita a gente tapa-lhe a boca... de formiga ou de dinheiro. Esse é o país brasileiro! Vejam ali, mais uma estátua desse grande redentor! (som de escola de samba na avenida) Olha o carnaval ai gente! (ouvem-se rajadas de metralhadora)  Aqui a bala vadeia e ninguém vai pra cadeia. Só se for um pé rapado, pego no supermercado, roubando, para não morrer de fome, estava desempregado. Para roubar é preciso elegância, ser movido pela ganância, nunca por necessidade. Assim são os meus funcionários, trabalham todos pra mim!!!

SIMÃO  _____________ Olhe aqui moço, me diga, o senhor foi pago para bater em alguém? Lhe juro que não sou eu, sou apenas um pobre velho que não faz mal a ninguém. O senhor devia ser como um Santo Anjo Protetor pra defender as pessoas, e não para as espancar.

GABRIEL ____________ Que Santo Anjo o quê! Qual é o Anjo que recebe de salário essa miséria, sempre, sempre atrasado? E como se não bastasse tenho de caçar e prender bandido, correr atrás de maloqueiros, pestes iguais a você! caminha velho safado, quer parar com essa conversa de que foi pastor em Jerusalém e que lá, todo mundo lhe quer bem!?

SIMÃO  _____________ Mas é verdade seu Anjo, quer dizer, seu policial. Juro pela Santa...

GABRIEL ____________ Cale essa boca maldito. Olhe aqui, eu não permito que fale o nome dela dessa maneira: em vão. Não quero mais lhe ouvir.

LUZBEL ____________ Quem é esse cidadão?

GABRIEL ____________ Diz que mora pelas ruas, e seu nome é Simão, mas num tempo muito longe, era um dos bons pastores na terra Jerusalém. Lá onde Jesus nasceu, e que também conheceu um tal, chamado Luzbel, um demônio fedorento, cruel e muito safado!

LUZBEL ____________ Muito interessante! Então, você é o pastor Simão amigo de Benjamim e de Gabriel, o Arcanjo? Se abanque, quero lhe ouvir!

SIMÃO ______________ Seu doutor eu lhe garanto que tudo isso é verdade!

LUZBEL ____________ Não duvido! Mas Simão, o seu amigo, o Arcanjo Gabriel talvez possa lhe soltar, como fez com a jovem Rosa que assassinou Açucena. Quer chamá-lo? Olhe ele ali!

SIMÃO ______________ Foi... foi ele quem me prendeu! Me soltar, acha que vai? Ochente, olhando pra sua cara... agora me lembro. Ave Maria, mas o senhor é... é Luzbel, o tinhoso, em quem eu e Benjamim aplicamos um corretivo!

LUZBEL ____________ Então se lembrou de mim, amigo, velho Simão? Quem é o vagabundo agora? Quem não encontra lugar para sossegar o facho? Sabe o que é que eu acho? Dessa vez você perdeu. Dança ai que eu quero ver. Garanto que Gabriel nunca irá lhe defender. Nem adianta gritar. Esse é o seu bastão? Olhe o que vou fazer!

SIMÃO ______________Meu refugio e fortaleza, meu Deus em quem confio...

GABRIEL ____________ Mas até comigo? Não é que esse infeliz tenta de todas as formas continuar uma batalha que há tempos está perdida? (dirigindo-se a Luzbel) Novamente Luzbel, será que você não aprende? Vá procurar alguém que seja do seu tamanho e deixe Simão em paz. Tentou mas falhou, estou aqui outra vez! Preste bastante atenção, isso aqui é o Brasil, mas estamos é no Nordeste, ou melhor, no agreste de Alagoas. Você sujeitinho atôa, como já disse Simão, vai comer da banda ruim. Aqui é a terra de homem trabalhador, bom amigo sim senhor, valente, cabra da peste que nunca foge da rinha, e não vai ser um murrinha, covarde feito você que vai se abancar aqui feito um rei em seu trono!

LUZBEL _____________Ochente, mas agorinha mesmo eu estava em outro canto! Eita com a gota menino, essa terra é interessante, seca que nem o deserto. É, olhando mais de perto, apesar da estatueta, é diferente da outra, sim. Morada de gente rota, que só vive feito besta: trabalhando pros sabidos. Banguela, dente encardido, sorrindo quando é tempo de eleição. No bolso nem um tostão. Entupido de esperança. Apanha, mas nunca aprende. Eita povo sem memória! Ufa!

BENJAMIM/CATINGUEIRO___________Sem memória é sua história, e besta é o corno do seu pai, roto é a sua mãe, se é que teve algum dia, o que eu duvido muito! Ainda sou Benjamim, mas aqui não sou pastor, sou caatingueiro arretado, com a “mulesta” no coro, não agüento desaforo e nem venha me apontar para o fogo do inferno pois aqui não há inverno o sol queima o ano inteiro. E incêndio, seu fuleiro, eu apago é no cuspe. Pois não é por falta d’água que eu vou morrer queimado! Aqui, nesse fim de mundo não uso mais um cajado, isso aqui é um facão, que corta palma pro gado, corta angico, macambira, rasga-beiço e pau pra fazer forquilha. E além de arrancar tira de coro, pode cortar venta de cabra que não se respeita, safado, igual a você! Se acha que é firula, e deseja ter a prova é só tentar se abancar, seus chifres vou arrancar, você não é boi que eu sei! Venham meninas, a brincadeira acabou, a festa vai começar!

EPÍLOGO

SINHÁ ______________ ... Aí, acordei!

LETÍCIA ____________ Isso foi sonho vovó? Nossa, parecia tão real e durou por um bom tempo, pensei que fosse verdade, quer dizer, uma história, realmente acontecida! É que a senhora dá vida verdadeira ao que conta.

SINHÁ ______________ Era um sonho, sim, querida! E apesar de parecer ser uma coisa real acabou quando acordei. Ah, como você está bonita, toda enfeitada de fita, vai homenagear o Boi de Carnaval, que desfila no Natal, não é?

LETÍCIA ____________ É vovó, mas de forma estilizada. Assim a cultura se enriquece e o povo não esquece seus folguedos, suas raízes.

SINHÁ ______________ Está um primor minha princesa. Você não nega a raça!

LETÍCIA ____________ Agora preciso ir. O pessoal me espera. Até mais tarde vovó!

SINHÁ ______________ Que o Anjo do Senhor lhe acompanhe querida!

LETÍCIA ____________ Amém...

LUZBEL ____________ Gabriel, é da minha natureza, eu nunca vou desistir. Para desgraçar o mundo e destronar o Messias qualquer sacrifício é pouco. O dinheiro compra TUDO, quer ver? Qual é o preço do show?

GABRIEL ____________Ela não vai lhe ouvir. Não permitirei que volte para bagunçar a festa da pequena Alegria, a criança que Maria, a Santa Mãe de Jesus, abençoou em Belém, quando ela era somente uma pequena borboleta. Caminha, vamos embora!

LUZBEL ____________ Ahhhhhhhhhhhhhh Gabriel você é um estraga prazer!

SINHÁ ______________ É uma guerra sem fim que começa lá no céu e despenca cá pra terra. Luzbel é muito ardiloso, é preciso estar atento pra fugir dos seus ataques. Mas que ele é formoso, ah, com licença, isso ele é. Que se o mal fosse feio ninguém o seguia tão fácil, principalmente aqui, nessa terra tão gigante. O que se vê a todo instante é um ato de maldade, onde o inocente é punido como se fosse o covarde que o ataca e mutila, as vezes destrói a vida e a paz de toda comunidade. Diz um dito bem safado que: “O diabo é preto e cada panela procure o seu texto!” Vocês já viram o Tinhoso, Satanás, o Diabo, o Fute, o Bute ou Anhangá? Ele pode até ser alto, pode ser baixo também, talvez seja gordo, pode ser magro, quem sabe? Mas uma coisa porém, lhes afirmo com certeza: ele é belo como o quê! Pois ninguém dá vez a quem parece com o diabo como dizem que ele é. Satanás somos nós, quando olhamos de trivela para o nosso irmão excluído, somos nós, os excluídos, quando atacamos quem paga os seus impostos mas não detém o poder, e de alguma maneira é excluído também. Somos o Bem e o Mal, depende da nossa escolha. Falei besteira?

LETÍCIA ____________ Corre vó Sinhá. O filho da cabra cega, aquele que tem um nome engraçado: Dhirey Duzumano está do lado de Luzbel e de todos os seus comparsas. Vítima é culpada do outro ser criminoso, deu bobeira, ele diz... coitadinho, infeliz é quem foi para a cadeia, quem morreu perdeu a vida, o que para ele é bem feito! O coitado do Simão foi condenado, por morar na rua, não ter endereço fixo e nem ter um bom emprego. E o pobre do Gabriel? Foi moído de pancada, é gente que a estrada parece até formigueiro. Vem uma tropa do cão, se dirigindo para cá. Sebo nas canelas vovó...

SINHÁ ______________ Deixa eles virem me pegar, ainda tenho alguns dentes, vou recebê-los é na mordida!

LETÍCIA ____________ Por favor minha querida, se eles nos pegam já sabe: vão colher o nosso sangue, pegar o DNA, patentear nossa raça, e esse país de desgraça não vai mover uma palha para resgatar a gente das garras desses bandidos. Brigar? É tempo perdido...

SINHÁ ______________ Daqui não arredo o pé, eu não fiz nada de errado!

LETÍCIA ____________ Fez vózinha, a senhora é uma “selvagem” que não tem leitura, apenas sua cultura, esqueceu que eles queimam a gente se nos encontram dormindo em qualquer banco de praça? E fazem isso de graça, sem um pingo de maldade, apenas pra se divertir. Riscar a gente do mapa pra eles é brincadeira...

SINHÁ ______________ É, pensando dessa maneira... o melhor mesmo é correr, se safar enquanto há tempo.

LETÍCIA ____________ Isso mesmo, corre vovó, por aqui...

F I M

(Seleção de textos teatrais inéditos para o VI Ciclo de Leituras Dramatizadas Outubro da ATA 56 anos – Temática Regional Nordestina.)
Adda nari Sussuarana
Enviado por Adda nari Sussuarana em 24/01/2017
Alterado em 08/10/2020
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras